2015 não é um ano para ser esquecido, pelo contrário

Foram incontáveis as vezes que ouvi e li que 2015 é um ano para ser esquecido. Penso o contrário. E olha que 15 não foi nada fácil: perdi meu pai no final de 2014. Ele faleceu dia 26 de dezembro, então carreguei o luto durante todo o ano de 2015. Além disso, eu e minha esposa precisemos fazer malabarismo com o nosso orçamento, pois, além das despesas habituais aqui de casa, entrou na conta as da minha mãe. Pois até resolver toda papelada junto ao Inss lá se foram 9 longos meses de espera.
Mesmo assim, em nenhuma momento abaixei a cabeça, muito menos sai por aí reclamando da vida. Aliás, carreguei comigo por todo ano uma frase que usei como mantra: 2015 é o ano da travessia! 
Para muitos as linhas iniciais já seriam motivo mais que suficiente para esquecer o ano que chegou ontem ao fim. Mas como falei logo acima, penso o contrário. Entendo que os obstáculos servem como aprendizado e nos deixam mais fortes. Querer esquecer 2015 é como se alguém carregasse nas costas uma mochila pesada com coisas boas que ela conquistou durante todo o ano, mas também com bastante coisas não tão boas assim, porém necessárias para chegar até ali e no final jogasse-lá fora, como se não fosse mais necessária dali para a frente.
Penso ser esse, aliás, um dos motivos de estarmos diante de uma geração que tem dificuldade em receber um não como resposta . São pessoas que crescem sob um redoma (quase sempre criada pelos pais) onde a palavra não deixou de fazer parte do dicionário. Diante disso, ao primeiro sinal de dificuldade – que inevitavelmente vai chegar, uma hora ou outra – essas pessoas não saberão como agir e por auto-defesa vão sair por aí cantarolando deselegância aos quatros quantos do mundo. O que convenhamos, só tende a piorar as coisas.
2015 não foi um ano fácil mas está longe, muito longe de ter sido o pior ano como muitos alardeiam. Quem é da minha geração e não cresceu em uma família de posses, ou foi criado sob a tal redoma, sabe bem o que eu quis descrever nessas poucas linhas. 2016 que começa hoje certamente trará novas dificuldades. Mas essa mochila pesada que carrego nas costas certamente vai facilitar muito as coisas ao longo dessa caminhada de 365 dias. Já a quem jogou a mochila fora desejo muita sorte, pois certamente vai precisar.

 

Anúncios